Sem estoque Informe o seu e-mail e o notificaremos assim que o produto chegar em nosso estoque:


Enviar Cancelar
Out of stock!
Insira seu e-mail para ser informado quando este produto chegar:
Enviar Fechar
Nem heróis, nem vilões
por R$ 84,90 R$ 76,41
Em estoque

OFERTAS VIDE

Nem heróis, nem vilões

Moacir Assunção

462
Português
9788501087393
16 x 23 cm
Record

SinopseNem heróis, nem vilões

  

  

A Guerra do Paraguai foi o maior e mais sangrento conflito da história brasileira. Também foi o maior da América Latina, perdendo em amplitude no continente apenas para a Guerra de Secessão americana. Ao opor os fundadores do Mercado Comum Sul-Americano — Brasil, Argentina e Uruguai — contra o Paraguai, então uma potência militar em busca de espaço na região, definiu as fronteiras do Prata. Não há estatísticas confiáveis do número de mortos, mas estima-se que pelo menos 300 mil perderam ali suas vidas. Simbólica em todos os sentidos, polêmica, a guerra ganha agora um olhar inovador. Em Nem heróis, nem vilões , o jornalista Moacir Assunção traz dados novos à questão, e discute reflexos que perduram até os dias de hoje, trazendo dificuldades à consolidação do Mercosul. Fruto de intensa pesquisa, o livro disseca, também, a participação dos EUA na guerra (em apoio ao Paraguai), o que fez com que o Brasil suspendesse por três vezes as relações diplomáticas com o país. Com entrevistas da bisneta de Solano López e intelectuais lopistas, a obra abre espaço para as difíceis relações entre líderes militares do Brasil como o Duque de Caxias e da aliada Argentina, como Bartolomeu Mitre. Os bastidores de episódios importantes da guerra, como Curupaiti, a maior derrota aliada, que quase levou ao fim do conflito; as doenças que atingiram o país e mataram mais gente que os combates propriamente ditos. O autor ainda discute as conseqüências do conflito, as grandes vilanias da guerra e, pela primeira vez, os livros anti-Brasil lançados em vários países latinos e respondidos por autores brasileiros. Fartamente ilustrado, traz à luz personagens praticamente ausentes na historiografia tradicional: a primeira vítima do conflito, o governador da província de Mato Grosso, que morreu de fome no Paraguai, José Díaz e Caballero, os maiores generais do exército paraguaio, e o filho de Solano López, Enrique, que entrou com ações contra os governos brasileiro e argentino — a família contratou Ruy Barbosa como advogado — para tentar reaver terras que haviam pertencido a sua mãe. Nem heróis, nem vilões é um livro fundamental para se entender a dinâmica social, política e econômica do continente sulamericano.